Sobre

MUITO TRISTE

A Oneloll, uma empresa de pesquisa e marketing com escritórios em Londres e Bristol, realizou um grande número de entrevistas e concluiu, com base na opinião dos entrevistados, que Everybody Hurts, do grupo R. E. M., é a canção mais triste de todos os tempos.

Realmente, com melodia bastante triste e uma letra que fala em dores e sofrimentos porque passamos, a canção pode despertar sentimentos sombrios e, segundo alguns entrevistados, ela os fez chorar.

O objetivo da pesquisa era entender mais sobre o poder da música sobre as pessoas e sabermos inclusive que a música pode ajudar no tratamento de ansiedade e depressão.

Pesquisas e listas não apontam verdades absolutas e no campo da música depende muito do tipo de público entrevistado, especialmente quando à idade.

E se fosse feita uma pesquisa semelhante no Brasil, que canções sairiam vencedoras?

Existe uma tradição da transformação de dramas pessoais em composições que muitas vezes se tornam grandes sucessos, sendo talvez o melhor exemplo CORAÇÃO DE LUTO, do gaúcho Teixeirinha, que relatou a morte de sua mãe em um incêndio no casebre onde morava. Eu era criança quando a gravação passou a ser veiculada nas emissoras de rádio e confesso haver chorado ao ouvi-la. Outra canção muito famosa, que relata outra tragédia, também no estilo sertanejo é O MENINO DA PORTEIRA, da dupla caipira Teddy Vieira e Luisinho, com inúmeras gravações, sendo talvez a mais famosa a de Sérgio Reis. Luiz Gonzaga é o responsável por talvez a mais triste das canções da música nordestina, ao colocar uma melodia extremamente triste no longo poema de Patativa do Assaré A TRISTE PARTIDA. Relatando o sofrimento de uma família nordestina que migra em virtude da seca para “viver como escrava nas terras do sul”, ela também me fez chorar juntamente como minha saudosa mãe, cujos pais haviam feito o que Patativa do Assaré relatava com sentimento.

Roberto Carlos, nosso cantor mais famoso, tem sua vida marcada por tragédias e especialmente em duas composições, muito tristes, desabafa e chora.  O DIVÃ faz menção ao acidente que sofreu quando criança e que resultou na perda de sua perna direita. AS FLORES DO JARDIM DE NOSSA CASA, outra canção também muito triste, foi composta quando seu filho Segundinho, recentemente falecido, nasceu com séria deficiência visual. TRAUMAS é outra composição de Roberto Carlos que também transmite muita tristeza.

No lp manifesto da Tropicália Caetano Veloso regravou uma composição de Vicente Celestino, CORAÇÃO MATERNO, talvez a mais terrível e até surrealista de nossas canções.

Na minha opinião, no entanto, e isto é uma coisa muito pessoal, a canção mais triste que conheço se chama MUITO TRISTE, do saudoso Zé Rodrix, gravada em seu lp de 1974, QUEM SABE, SABE QUEM NÃO SABE NÃO PRECISA SABER.

MUITO TRISTE é um blues gravado com o acompanhamento de um órgão sorumbático que potencializa a melodia triste da canção e eu não aconselho a audição para quem se encontra “pra baixo”.

A música do R. E. M. apesar de tratar de sofrimentos porque passamos sugere que não devemos desistir. A canção de Zé Rodrix, no entanto, não traz este tipo de mensagem, apenas reforça a tristeza predominante nas pessoas que neste tempo de pandemia e guerra se torna mais atual.

É uma canção bonita mas eu tenho evitado escutá-la.

Escrito por Damião Nobre

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carregando...

0

Em Cartaz: Medo Profundo