Sobre

Páscoa

Para mim, a Páscoa se resume em comer muitos chocolates, para muitas pessoas apenas em comer pouco chocolates e há quem apenas oferece por causa da promoção nos supermercados. A Páscoa verdadeiramente tem outros sentidos maravilhosos. As pessoas a celebram de acordo com aquilo que acreditam e pode haver ou não a ideia religiosa.

Os símbolos da Páscoa fazem parte da nossa vida. Ovos, coelho, peixe, são alguns dos símbolos dessa data tão especial. O símbolo do coelho tem origens na Alsácia e sudoeste da Alemanha, onde foi mencionado pela primeira vez nos escritos alemães em 1600. Em alguns países os noivos davam um ao outro um ovo pintado simbolizando a perpetuação do amor.

O Peixe é um dos símbolos mais antigos dos primeiros cristãos, ao se referirem a Jesus Ressuscitado. Na Roma antiga, as mulheres casadas vestiam-se de branco e carregavam o ovo que era dedicado aos seres protetores da agricultura. Os hebreus nao comiam ovos cozidos. Os celtas ofereciam ovos pintados de vermelho, simbolizando o sangue derramado por Jesus. Chineses, há tempos atrás, distribuíam ovos coloridos entre amigos durante a primavera. Os pagãos, em especial os Ucranianos tinham o costume da “arte de decorar ovos”, chamado de “pisanka”.

Na Idade Média os antigos povos homenageavam Ostera ou Esther, deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo são símbolos da chegada de uma nova vida e suas sacerdotisas eram ditas capazes de prever o futuro observando as entranhas de uma lebre sacrificada. a versão “coelhinho da páscoa, que trazes pra mim?” É muito mais comercialmente interessante do que “Lebre de Eostre, o que suas entranhas trazem de sorte para mim?”, que é a versão original desta rima.

E assim segue a vida, a espera desta data tão admirada. O coelho que é realmente é o símbolo mais admirável, esses mamíferos lagomorfos da família dos leporídeos, em geral dos gêneros Oryctolagus e Sylvilagus. Esses pequenos mamíferos encontram-se facilmente em muitas regiões do planeta. Tá bom, porque não dizem que coelhos são animais fofinhos, branquinhos e bonitinhos? Para que confundir a cabeça de uma criança e até mesmo de um adulto como eu? O coelho pode alcançar a velocidade de 100 km/h e pode dar saltos de 3m ou mais, será por isto que conseguem chegar a tempo na Páscoa? Ou será mesmo porque ele é um dos primeiros animais que saem das tocas ao chegar a primavera?

No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os Espanhóis chamam a festa de Pascua, os Italianos de Pasqua e os Franceses de Pâques e estranhamente em Irlandês Páscoa chama-se Cáisg.  Na Bélgica comemora-se esta data saboreando a carne de carneiro ou agneau, símbolo do sacrifício, diferente de outros países que comem apenas peixe. A Páscoa da Suécia faz lembrar o dia das bruxas americano. Na quinta-feira Santa ou na véspera da Páscoa, as crianças suecas vestem-se de bruxos, visitam seus vizinhos e deixam um cartão decorado para conseguir doce ou dinheiro.

Na França além dos sinos, eles atravessam a cidade deixando ovos, galinhas, pintinhos e coelhos em chocolate para a alegria das crianças. No Brasil, as crianças montam seus próprios “cestinhos de Páscoa”, enchem-no de palha ou papel, esperando o coelhinho deixar os ovinhos durante a madrugada ou procurar os ovos pela casa na manhã de domingo, é uma tradição e uma incrível brincadeira, aqui em casa sempre fica tudo no “esquema”. Os amantes não ficam de fora não, e em alguns países eles presenteiam a amada com um magnífico ovo de chocolate com desenhos em ouro, Uau! Eu não sabia que o botânico Sueco Linneu, em 1753 deu o nome a árvore do cacau de “Theobroma cacao”, mas certamente sei que esta deliciosa guloseima, este “alimento dos deuses”, o chocolate, deixa minha Páscoa com mais sabor.

Existem muitas histórias em torno da Páscoa, uma diversidade de maneiras de se passar a semana santa, eu acho que melhor mesmo é comer chocolate e sem moderação. E quanto ao coelhinho ou lebre da Páscoa seja lá como for, antes que eu esqueça, o que trazes pra mim?

Escrito por Sulla Mino

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carregando...

0

O desafio do recomeço

A Bisneta Bruninha