Sobre , ,

Festival homenageia artista plástico Antônio Roseno

“PARA COMEÇAR FAZER O DESENHO PRECISA: LÁPIS, CANETA, ALGODÃO, QUEROSENE, THINER, GASOLINA, PINCEL, RÉGUA, TESOURA, GIZ, PAPEL, SODA CÁUSTICA, FOGO, PREGO, TRABALHO, MADEIRA, TINTA. SERROTE, MESA, CASA, CADEIRA. PARA FAZER ESSE DESENHO FICA MUITO CARO. QUEM PEGAR ESSE DESENHO GUARDE COM CARINHO. PODE LAVAR; SÓ NÃO PODE ARRANHAR TENDO ZELO, ATURA MEIO SÉCULO, E FICA PARA OS FILHOS E NETOS”. Era com um bilhete assim que o artista plástico Antônio Roseno identificava o verso de cada obra sua.

Produzida com matérias simples, o menino humilde nascido no município potiguar de Alexandria em 1926, pintava em cores vívidas suas figuras, animais, plantas e objetos num estilo todo próprio no qual misturava desenho e palavras.

Para homenagear esse artista tão pouco conhecido no Estado, a Sociedade Amigos da Pinacoteca realiza uma série de eventos que buscam integrar Antônio Roseno às artes plásticas locais. O Festival “As Cores do Interior” começa do 25 de maio em formato virtual com uma conferência com o professor Doutor Geraldo Porto, da Unicamp, primeiro comprador do pintor norte-rio-grandense. 

 “Roseno foi objeto de estudo da tese de doutorado do Prof. Geraldo Porto, que, desde então, acompanhou a trajetória do fotógrafo e artista. Através da relação que se estabeleceu entre Roseno, sua esposa Soledade e ele, muitas obras foram adquiridas. E, depois da sua morte, em 1998, tomou ao seu encargo colocar nos espaços de preservação da Arte Bruta o nosso artista”, conta a professora Isaura Rosado, da Sociedade Amigos da Pinacoteca.

Assim é que as suas obras estão preservadas na “Collection de L’Art Brut de Lausanne, na Suiça. O professor também doou uma coleção de pinturas para o Museu Haus Cajeth, em Heidelberg, na Alemanha, e uma grande coleção das suas melhores fotografias para o Centro de Memória da Universidade Estadual de Campinas.

Sabe-se também que Roseno está inserido em diversas publicações na Europa e em alguns catálogos no Brasil. Merece destaque o livro L’art Brut de 2016, Editora Flammarion, Paris, de autoria de Lucienne Peiry.

Isaura conta que há quatro ou cinco anos está conversando no sentido de trazer Roseno “do mundo para terras potiguares” e que foram feitas tentativas frustradas de localização da sua família em Alexandria, através de amigos e até da prefeitura da cidade. “Enfim, o Festival As Cores do Interior abre essa porta ou janela para que possamos conversar sobre esse artista que Alexandria e o Rio Grande do Norte precisavam conhecer. A Sociedade Amigos da Pinacoteca está adquirindo um trabalho para que Roseno integre-se às artes plásticas potiguares na Pinacoteca de Mossoró, cumprindo um dever de justiça com o conterrâneo”, diz.

Sobre o artista

Antônio Roseno de Lima nasceu em Alexandria em 1926 e  morou na roça até os 22 anos de idade. Começou a trabalhar desde cedo, produzindo gaiolas, objetos de madeira e colheres. 

Em 1959, casado há oito anos e com a esposa à espera do quinto filho, deixou sua família e partiu em busca de uma nova vida em São Paulo. 

Em 1961, aos 35 anos, frequentou um curso de fotografia passando, então, a registrar festas de aniversário e casamentos, trabalhando como fotógrafo lambe-lambe nas cidades de São Paulo e Indaiatuba.  Neste mesmo ano, tiveram início suas atividades na pintura. Autodidata, Roseno pintou diariamente e desenhou em série, apresentando um universo iconográfico composto por seres humanos, animais e objetos.  

A partir de 1976, Roseno fixou-se na favela Três Marias, em Campinas, em um barraco sem iluminação elétrica onde viveu até a sua morte em 1998.

Em 1988, conheceu o artista e professor Geraldo Porto, que iniciou a obra de Roseno no mundo artístico e fez dela tema de seu mestrado, em 1993, pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

 Festival “As Cores do Interior” 

25.05.21 – CONFERÊNCIA DE ABERTURA – 20h

Tema:  A ARTE BRUTA DE ROSENDO: de Alexandria para o Mundo.  

Com o professor Geraldo Porto

Mediação: Antônio Marques e Everardo Ramos.

Participação e transmissão pelos canais da Associação de Amigos da Pinacoteca e do Museu Câmara Cascudo. Realização: Associação de Amigos da Pinacoteca e Museu Câmara Cascudo da UFRN. 

22.06.21 – 20h – LANÇAMENTO DA EXPOSIÇÃO VIRTUAL pelos canais da SOCIEDADE AMIGOS DA PINACOTECA das obras de artistas representando os 150 municípios potiguares e entrega da obra de ANTÔNIO ROSENO adquirida com recursos do Prêmio para a Pinacoteca com a participação do médico e presidente do Conselho Estadual de Cultura e Diretor da SAP, Iaperi Araújo, Isaura Amélia, Dione Caldas e Secretários de Cultura.

30.09.21 – 18h30 – ABERTURA DO SALÃO “AS CORES DO INTERIOR” na Galeria Boulier, em Mossoró, com a curadoria de Dione Caldas.

Facebook: https://www.facebook.com/amigosdapinacoteca/
Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=u31wUmE0bGE

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...

0

Priscilla Freire e Junior Santos encerram com muito axé o Toca Brasil neste sábado

Pazuello na CPI – Parte 2